Mudar Para Emagrecer


Mudar Para Emagrecer


Como os aspectos psicológicos podem influenciar pessoas que lutam para perder peso e não conseguem…

Autor: Waldemar Magaldi Filho

Muitas vezes sou procurado para ajudar pessoas que sofrem de transtornos alimentares. Dirijo-me a você que pretende emagrecer, mas por motivos alheios e contraditórios à sua vontade não consegue. Por que será que uma grande parcela de indivíduos obesos ou com sobrepeso enfrentam tantas dificuldades em perder peso?

Quase todas as pessoas, muitas vezes sem saber, repetem práticas comportamentais e emocionais, que provocam dependências tanto bioquímicas quanto relacionais. Essas são as reais causas das dificuldades de mudanças, incluindo a necessidade de emagrecimento.

mudar para emagrecer

Sempre digo àqueles com dificuldade para emagrecer que devem existir causas ou ganhos secundários, inconscientes ou não, que contribuem para impedir que o peso seja perdido. Dentre eles, temos o medo de enfrentar uma imagem corporal mais atraente, que pode despertar ciúmes e desequilíbrio nas relações afetivas, possibilidades de mudanças indesejadas ou temidas e a perda da compensação prazerosa que o excesso alimentar produz, porque a comida, além de gratificar, nos dá sentimentos de acolhimento.

Existe uma sabotagem, igualmente inconsciente ou não, das pessoas envolvidas nos nossos vínculos relacionais. Toda mudança produz insegurança, medo e tentativa de manutenção das dinâmicas de vida já conhecidas, mesmo quando dolorosas e indesejáveis. Paralelamente, a relação que cada indivíduo tem com o seu corpo é proporcional nas relações com as demais pessoas. Um corpo pode estar pesado pelas palavras de amor ou de raiva que não puderam ser ditas nas diversas relações, sobrando apenas o acúmulo energético e compensatório dos sentimentos não expressos na forma de gordura.

Perder peso implica reestruturar a nova imagem corporal, reconstruir os vínculos sociais e interpessoais, buscar novos significados para as relações amorosas, reeducar o organismo em uma outra configuração bioquímica e buscar um sentido de prazer e satisfação de vida mais abrangente do que os obtidos pela ingestão de alimentos.

Ou seja, em qualquer mudança de vida pretendida crises e síndromes de abstinência poderão surgir, provocando dor e sofrimento.

O sucesso vai depender da sua disponibilidade em encarar a mudança de um conjunto de fatores que incluem o corpo, a mente, as relações afetivas, familiares, sociais, profissionais e até espirituais. Só assim uma mudança de vida como uma dieta alimentar ou um programa de exercícios físicos terá sucesso, pois você perceberá que o excesso de peso terá outra razão além de restos de um passado que não mais influencia.

Emagrecer não é tão fácil como se imagina e na maioria das vezes é necessário muita ajuda, principalmente a psicológica.

É um desacerto acusar quem não está emagrecendo de preguiçoso ou incapaz, porque há infinitos mecanismos físicos, bioquímicos e psíquicos que entram em estado de alarme e reagem prontamente a qualquer experiência de fome ou sentimento de perda, inevitáveis em qualquer dieta de emagrecimento.

Waldemar Magaldi Filho é psicólogo, analista junguiano, coordenador dos cursos de psicossomática; dependências, abusos e compulsões; e psicologia junguiana da Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo (FACIS)

Texto original: http://www.istoegente.com.br

 

Rate this post

Quer Receber Dicas Sobre os Melhores Cursos Que Estão Bombando na Internet?